quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Crime passional!!


E mesmo em vida você vai morrendo de tantas formas
que, de repente, a vida acaba e ninguém se dá conta.
E a morte que mais me assusta é morrer dentro de alguém.
Principalmente se esse alguém ainda pulsa dentro de mim...

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Pés cansados...


Ultimamente ando contando os passos, 
por/com medo de me perder
em caminhos incertos.
Se lá na frente algo me distrair ao menos 
saberei como retornar...


*Título de uma música do novo CD da Sandy, Manuscritos.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Minha religião...


Todas as frases por ele proferidas recaíram sobre mim como apostolados. 
Tornei-me sua fiel seguidora. Uma verdadeira discípula.
Nada mais no mundo me importava.
Ele fez com que todas as minhas certezas caíssem ao chão. 
Nada mais me importava.
Cada beijo seu, fazia crescer em mim uma certeza de vida eterna. 
Mesmo terminando no dia seguinte, ainda assim, seria eterna. 
Nada mais me importava.
Prová-lo todas as noites, sem hora nem pressa para acabar era minha hóstia. Ele me consagrava.
Era o meu arcanjo e o meu demônio. Meu céu e meu inferno. Minha religião, embora eu fosse atéia, nele eu acreditava.
Nada me importava e se um dia havia me importado, naquele momento eu não me lembrava mais.
Pouco ou quase nada me aterrorizava saber onde seria essa vida eterna, contanto que fosse ao seu lado.
Mulheres intensas, arrebatadoras têm dessas coisas. O seu lado mais extraordinário é ao 
mesmo tempo sua pior ruína. Entregam-se sem pensar no amanhã, não temem a tal doença dos olhos.
Só querem a saúde da alma. E que lugar melhor para gozar de felicidade ampla e
imortal a não ser nos braços da pessoa amada?
Ele continua sendo minha religião. 
Não praticante, é verdade. Mas a minha, exclusivamente a minha religião.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Opostos...



Ela era prosa,

ele poesia.

Desentenderam-se.

Tudo por causa da estética.



*Confesso que ando tão apaixonada por haikais ( forma poética de origem japonesa, que valoriza a concisão e a objetividade). 

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

A chuva...


Um dia sem perceber 
você me confessou que
gostaria de ser como a chuva.
Naquele momento não entendi
o que aquilo significava;
Hoje sou um deserto.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Selos e Segredos!


Ganhei mais um selo da Angel do Blog Pedaços de nuvem. Adoro receber selos, acredito que é uma demonstração imensa de carinho.
É muito bom saber que alguém lembra de você e o selo é uma forma singela de presentear os blogs que dedicamos alguns minutos...
A regra é dizer 9 coisas a meu respeito. Coisinha bem complicada, mas vamos lá!


1. Adoro dançar. Não sou uma boa dançarina, mas se tem algo que me deixa feliz é dançar. Mesmo que sozinha...


2. Sou super chorona. Choro por qualquer coisa. O que não significa que eu seja uma pessoa frágil.


3. Sou muito romântica e adoro histórias de amor, mesmo as mais piegas...

4. Eu me traio todos os dias. E tenho aprendido que comigo não adianta a frase" não farei mais isso". Sou teimosa e persistente...


5. Detesto acordar cedo, mas escolhi a profissão errada e sou obrigada a pular cedo da cama.


6. Não consigo odiar ninguém por mais de 2 minutos. O que não quer dizer que eu seja boazinha ...rs!


7. Adoro futebol e descobri uma paixão incomum pelo Flamengo. Acredito que Flamenguistas são mais felizes, mesmo correndo risco de rebaixamento...rs!


8. Amo música e queria ter uma bela voz pra poder cantar, mas infelizmente tenho voz de Taquara rachada...rs!


9. Não tenho um prato favorito, mas adoro saladas. 


 Chega, né? Não indicarei o nome dos blogs. Sintam-se a vontade para pegar o selinho de qualidade...

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Nudus tota!!


Perdoei todos os insultos que me foram direcionados,
Abandonei todas as armas e
Acreditei estar fazendo a coisa mais correta.
Fingi esquecer.
A vida se mostra tão falível.
Senti novas sensações,
mergulhei de cabeça nelas
E vi um mundo novo à minha volta,
Mas percebo que nada vai bem
ou talvez eu esteja entendendo mal.
E as noites vão ficando cada vez mais longas e
o dia parece não vir.
A chaga ainda sangra.
A vida se mostra novamente falível.
Ou eu ainda não sei lidar com o caos dentro de mim.
No meu universo particular e desorganizado
restaram ilusões, feridas e um pouco de amor
para recomeçar...

domingo, 24 de outubro de 2010

Último capítulo...


Peguei o melhor livro que havia na biblioteca. Sentei-me num canto afastada de todo resto. Parecia que não queria que ninguém interrompesse minha doce leitura. Iniciei uma viagem. Mergulhei profundamente nas páginas daquele romance. Cada novo capítulo era como um deleite pra minh'alma.
Percebi que o livro estava acabando e comecei a ler lentamente. Aquele livro passou a fazer parte de mim. Foi como se minha vida a partir de então passasse a depender do desenrolar da história.
Li o último capítulo hoje. Recoloquei na estante junto com os outros livros. Ele parece o mais imponente perante os demais. Por alguns instantes tive vontade de roubá-lo pra mim, mas ele não me pertence.
Ao me direcionar para a saída percebo que outro alguém o segura, minha vontade é correr e arrancá-lo de suas mãos. Não posso fazer isso. Parte de mim agora é só ciúme, o famoso sentimento de posse. Quem nunca sentiu que atire a primeira pedra.
Me resta esperar que tenha o mesmo cuidado que tive e que trate com a mesma dedicação que tratei.
E outros livros ainda virão e preencherá esse vazio deixado pelo tal romance. Paciência.
Deve ser assim na vida também, é tão ruim encerrar um capítulo, mas pode ser que o próximo seja ainda melhor...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Sentimento obstinado...


E a pergunta teimosa: saudade mata?
Em caso de positivo, onde encontrar remédio?
Agora sei o que a lua sente em relação ao sol. 
Pacificamente ela aguarda o próximo eclipse. Eu também!
Mesmo que seja só pra me queimar...

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Relembrar e comemorar!!


Gostava de imaginar que suas mãos eram só minhas. 
Que o enlaçar do seu abraço só se encaixava ao meu.
Que o perfume que exalava de seu corpo era apenas pra mim. 
Cheguei a acreditar que seus olhos só brilhavam quando encontravam os meus.
Durante o tempo em que essa certeza tomou conta de mim, uma felicidade 
me irradiou, meu sorriso era contagiante e de alguma maneira você me fazia crer 
que encarar os problemas ao seu lado era muito mais fácil.
Um belo dia acordei e vi que tudo não havia passado de um sonho bom...


*Hoje o Blog completa 1 ano. Diferente do formato inicial e sem a parceria de minha amiga Nani.
Tanta coisa mudou e continua mudando, mas ao mesmo tempo muitas coisas 
continuam como 15 de outubro de 2009. 
Pouco tempo, não nego. Mas tantas recordações boas e outras tantas más.
Enfim, relembrar é viver, e, esse pequeno post é só pra reviver um sonho
bom que tive. E como tudo que é bom temos dificuldade para esquecer...

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Gosto de quê?

Meu pensamento concluiu que aqui não é mais seguro.
Deixou-me e foi em busca de tranquilidade.
De início senti ódio, raiva, repulsa.
Considerei uma atitude ingrata.
Agora sinto vazio, ausência, vontade.
Estou provando diariamente o sabor de uma saudade e
posso garantir que não me agrada o paladar.
E os espaços ficam cada vez maiores e solitários se não tenho você.
O chato é perceber que até então eu não havia me dado conta do
quanto és importante em minha vida.
Sim, você meu pensamento impertinente é necessário.
Substituível, como quase tudo na vida, mas esquecido jamais.
E mesmo não estando por aqui continua em mim.
Então... espero ou vou em busca de novos pensamentos?


quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Só mais uma loucura...


Não estou tendo bons dias. A vontade de escrever sorrateiramente se escondeu. Acho que está debaixo de minha cama. Não só ela, também o medo que tenho de me machucar novamente. Estão aqui bem próximos de mim, como se não quisessem me deixar esquecer.
Pensei que por ser uma chama pequena e recém nascida não iria me machucar. Me enganei. 
Doeu, ardeu, criou bolhas e está demorando para sarar. 
Decidi me manter afastada de toda e qualquer ameaça. Estou apenas criando uma proteção para não mais sofrer.
O ruim é que mantendo-me completamente afastada do fogo não corro o risco de me queimar, mas ao mesmo tempo entrego-me totalmente ao frio. E esse, apesar de não queimar nem criar cicatrizes também dói. Ainda não consegui mensurar o grau da dor que provoca, mas posso garantir que dói.
Sim, sou melodramática, não posso negar. Não tenho o hábito de sair por aí me apaixonando, mas quando me apaixono é pra valer. 
Ai de mim!
Não sei me apaixonar por um rostinho bonito, nem por uma conta bancária. Não sou hipócrita o bastante para falar que ambos não são boas companhias. Porém, das poucas vezes em que me deixei flutuar por uma paixão foram as palavras que me seduziram. Sedução essa que não pude fazer nada além de aceitar.
Não sei se alguém que ama deseja estar longe. Em mim o desejo de estar perto é tão imenso que acabo criando a pessoa amada da forma que quero. E nos meus devaneios ela sempre me diz sim.
Não é uma forma muito sadia de amar, eu sei.
É o jeito que encontrei para mantê-lo perto de mim.
E toda forma de amar é justa, não é?

sábado, 25 de setembro de 2010

Insônia!


Então, 1:58 da madrugada ela passeia desconcentrada e ausente de si pelos sites da vida.
Amarga o gosto de uma paixão vivida apenas do lado de cá da tela. Tem tudo que as
pessoas costumam julgar essencias à felicidade. Mesmo assim sente falta de algo mais. 
Não sente pena de si, mas implora baixinho aos céus que ouça o que seus pensamentos dizem.
Não é carro. Não é uma roupa nova. Nem muito menos uma viagem ao exterior.
Cabo Frio ou Barra Grande sempre lhe fizeram bem.
Ela só quer que escutem o seu coração cansado de apanhar e que lhe deem remédios
para feridas que continuam abertas e sangrando.
Sente-se cansada.
Nesse momento escuta o barulho da chuva que cai lá fora.
Vai deitar, esperando que a mesma embale seu sono...

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Dissimulando...


Noite gelada
sono que não chega
suor frio
pressão baixa
hora que não passa
dor que desatina
piadas sem graça
a roupa que não serve
o ano que não termina
a baleia do Twitter
horário eleitoral que não finda
o café frio
a sopa gelada
cachorros que ladram sem parar
e o estresse a me aborrecer.
E o que mais me emputece nessa história é que
esse incômodo todo é pelo simples fato de não ter você.

Distraída...


E você acostuma-se com o fato de que as pessoas são felizes mesmo sem você.
De início um susto tremendo, depois você calcula que também é perfeitamente
capaz de viver sem aquilo que julgava insubstituível.
E os dias passam, o movimento de rotação e translação continuam,
O efeito estufa piora, as calotas polares vão derretendo e a Dilma vai consolidando-se...
Pessoas queridas morrem, outras tantas nascem.
Lágrimas nos traem e gargalhadas nos pegam de surpresa.
Ah, e o sol? Esse está sempre lá, mesmo que por detrás das nuvens.
A vida é bela. Alguns dias e noites, nem tanto.
Mas ainda assim a vida é bela!

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Desventura de um coração!


De tanto que um dia te quis, hoje percebo que perdeu toda a graça.
O desejo de correr ao seu encontro se esvaiu. A vontade de me teletransportar quando ouço o som da sua voz, de repente, desapareceu. Mas, ainda não estou pronta para dar adeus.
O que me persegue é um eloquente talvez. Uma dúvida cruel. Porque apesar de entender que nosso tempo acabou, renego-me a aceitar que é melhor tirá-lo do meu peito. Meu coração está totalmente despedaçado e cada fragmento possui um pouco de ti.
Então, como farei?
Estou inerte.
É como se minha vida estivesse congelada, esperando um desfecho final para nossa história. 
Mas... Um dia passa. Deixa estar.
Não quero esquecê-lo, decididamente, não quero. Almejo apenas não mais me lembrar.
No final das contas quem sai sangrando, machucada sou eu.
Custo a acreditar que os poetas não sabem amar. Mas, não tem como não amá-los.
Triste sina!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Lacunas...

E nada do mundo
preenche tantos espaços em mim
como o vazio deixado por ti.

Alguém...


É que tem gente que tem um estranho poder de fazer aparecer estrelas em nosso céu nas noites chuvosas.
As estrelas estavam lá antes desta pessoa aparecer, mas de alguma forma só enxergamos com ela.
Nos faz ver cores onde antes, aparentemente, era cinza. 
Não há o que entender é só uma mágica. Uma descortinação da visão, apenas.
Você não era infeliz, mas passa de uma hora pra outra a ser mais feliz. É estranho, eu sei.
Pessoas mágicas vão da mesma forma que surgem.
Vai ver são anjos e tem uma nova missão, fazer outro alguém mais feliz.
Deixam a solidão. Cercado de pessoas e mesmo assim há solidão.
Não é tristeza, entenda, é apenas solidão. 
Mas sempre vem um outro anjo.
E a vida segue oscilando como sempre foi e como sempre será...

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Apenas saudade...


Só por essa noite. Esse é meu último pensamento antes de adormecer e desejar sonhar com você.
Por que tem que ser assim? Poderia ser tão simples. Eu você e o amor. Juntos sem vírgula ou qualquer outro
argumento gramatical, celestial ou proposital que pudesse nos separar.
Minha mais nova distração tem sido inventar meios para afastá-lo dos meus pensamentos, mas você parece ter a fórmula exata para reencontrá-los. 
Não sei mais o caminho que devo seguir, encontro-me numa rua desconhecida e todas as placas de informação me guiam para você.
Neste momento não estou tentando mensurar o amor que sinto por ti ou descrever a odisséia que tem sido amar-te sem ser correspondida. Tudo que sinto inflar dentro de mim é uma saudade sem tamanho, um vazio arrebatador que mesmo com toda essa distância estritamente física me transporta sem querer, sem pedir autorização e quando percebo está em mim. Não que tenha deixado de estar em algum momento, mas têm dias que o incômodo é maior e o sentimento que deveria ser meramente abstrato parece ganhar vida e apoderar-se de mim. 
E é assim, todas as noites você me invade, fica comigo e deixa o meu dia mais feliz.
Sem nenhuma razão de existir, mas existindo...

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Final de agosto...

Respirei fundo, me enchi de coragem e com passos firmes caminhei em sua direção.
Senti medo e recuei.
Não, não irei ferir meus sentimentos novamente por alguém que provavelmente não vale meus esforços.
Quais esforços? Amá-lo irremediavelmente?
Sendo assim, mais uma vez reprimo meus sentimentos, escondo a solidão, visto meu sorriso mais bonito, me cubro de orgulho e espalho aos quatro cantos que sou muito feliz.
Certifico-me de ter minhas emoções guardadas em um local seguro.
Recoloco o coração no bolso. 
O tempo cura tudo não é mesmo? Se não cura ao menos nos deixa com a sensação que a dor está longe, tão longe que nem dá mais pra sentir.
Sim, sou feliz mesmo que sem ele...

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Dissabores...




De repente acordo agitada. Tento recordar o sonho que tive.
Tudo tão assusta(dor) que mais parece um pesadelo.
Olho minha companhia deitada ao meu lado na cama,
ela me direciona um olhar de cumplicidade, parece condoer-se por mim.
Gentilmente me abraça. Seu carinho é gélido.
Afasto-me. Apesar da solidariedade percebo que não é isto que necessito.
Não quero buscar consolo nos braços da desilusão...

O que fica...

Quando eu finalmente deixar de existir
quando mais nada restar de mim
quando meu corpo sucumbido estiver
por favor, enterrem a saudade
ela é tudo que sobrou...

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Náufrago...

Deixo-me submergir
nas lágrimas que derramo,
minha única esperança
é que um dia me salve...

Coração off!

Tenho me sentido cansada de tudo isso, dessa busca incessante pelo amor. De escrever, de falar e até de sentir. É tudo tão incerto, um misto de realidade e ficção. Não há caminhos seguros, planos perfeitos ou atitudes corretas. Hora nos mandam correr atrás, hora nos mandam esperar, só não nos dão a receita para aquietar o pulsante coração. Estou transbordando de impaciência. Percebo que a cada nova tentativa só faz o meu peito encher-se de expectativas pra logo depois deparar-me com a decepção. 
Tenho impressão que de alguma forma já está explícito o que tanto desejo:
Esperando um grande amor
Esperando um grande amor
Esperando um grande amor
Esperando um grande amor
Dentro de mim algo parece ter certeza de sua vinda. Pergunto-me de onde vem tanta certeza. Talvez ele já esteja a caminho. 
1 dia
1 semana
1 mês
1 ano
Não faço mais cálculos, tudo bem, ele virá. Uma voz sussurra em meu ouvido.
Acontece que em invernos rigorosos, como este, o frio toma conta até dos seus pensamentos, exigindo-lhe calor humano, suplicando um aconchego ou apenas palavras que ajudem a temperatura subir. 
Chega um determinado período em que chegamos ao nosso limite, ainda não cheguei, mas o momento é de cautela, sigo um tanto esperançosa e um bocado cética...




segunda-feira, 23 de agosto de 2010

IN definido!


Filho pergunta pro pai: Pai o que é Amar?
-Ah, Amar é pensar em alguém o dia todo.
-Mas isso não é obsessão?
-Ah, Amar é desejar alguém loucamente.
-Mas isso não é tesão?
-Ah, Amar é querer passar o resto de sua vida com alguém.
-Mas isso não é uma utopia?
-Ah, Amar  é saber dos defeitos e mesmo assim aceitar.
-Mas isso não é respeito?
-Ah, Amar é encontrar alguém que você sonhe em construir um lar e ter filhos.
-Mas isso não é pra perpetuar a espécie?
-Ah, Amar é confiar seus segredos a alguém.
-Mas isso não é amizade?
-Ah meu filho amar é isso que eu e sua mãe sentimos um pelo outro.
-Nossa pai eu jurava que fosse apenas costume.
-Quer saber meu filho? Amar é quando você sente um tesão fora do comum por alguém, pensa nisso o dia todo, é obrigado a casar pela sociedade e os filhos são o resultado final de tudo isso.
-Poxa pai você destruiu toda magia do amor...

*Amar definitivamente é um verbo indefinido, que não existe palavra no dicionário que possa dar seu significado ou reações provocadas pelo mesmo. Sabe-se apenas que são sensações boas que sentimos no corpo. Ou isso seria orgasmo?

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Na gramática e na vida!


Eu te amei e Tu me amaste, pretérito perfeito.
Eu te amo e Tu me amas, meu presente.
E no futuro? Eu te amarei. Tu me amarás?
Seria um futuro mais-que-perfeito.
Na gramática eu já sei que não é. E na vida, será?

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Nada permanece pra sempre!


O que fazer quando a mulher ainda tem sonhos de menina? Puní-la?

Ontem foi mais uma noite em que eu desejei ardentemente por você. Não pronuncio mais o seu nome, não olho suas fotos e tento não saber da sua vida, mas não preciso falar nem saber de você para tê-lo dentro de mim. 
É inevitável! 
Não quero esquecê-lo, mas gostaria muito de  pensar em você e não ter uma lágrima passeando pelo meu rosto.
Quero recordar dos instantes mágicos vividos ao seu lado e de tudo aquilo que aprendi com você, de todas conversas distraídas antes de adormecer enlaçada em seu corpo, sem sofrer, sem chorar.
Sei que você já deve ter um outro alguém para compartilhar alegrias e tristezas e por esse motivo luto contra esse sentimento que tem me deixado inerte. Infelizmente ele teimoso que só, apoderou-se de mim e não deseja me largar. Uma hora qualquer ele se cansa da solidão e vai embora sem deixar marcas da sua passagem. 
O tempo, que é o encarregado dessa função resolveu fazer manha e não quer passar. Quando eu estava ao seu lado ele era um brincalhão ansioso e passava sempre por nós como uma bala. Agora simplesmente se escondeu.
Por enquanto você permanecerá aqui dentro, seguro, aconchegado e amado. Mas pode acontecer da menina crescer e assim como num passe de mágica te esquecer ou um outro alguém aparecer e dulcificar o que neste momento amargo está...

domingo, 8 de agosto de 2010

Doce mistério...


Planos. Alguém sabe viver sem fazê-los? Eu não sei.
Tenho inúmeros planos inconfessáveis e mirabolantes dentro de mim, claro que diariamente um ou outro vai deixando de ser tão interessante e outros novos vão surgindo.
Mas devo confessar que muita coisa mudou com a sua chegada.
Eu brinquei de amar. Inventei um sentimento que acabou tornando-se real. Lutei, hesitei, mas de nada adiantou.
Hoje, apenas a citação do seu nome causa-me sensações estranhas e impossíveis de descrever.
Aprendi a amar-te com paciência, como quem espera silenciosamente um grande amor que fará uma verdadeira revolução em minha vida.
Amo-te com candura, como o mais puro e inocente dos sentimentos.
Amo-te com volúpia, na expectativa de ter todos os desejos saciados.
Amo-te sem pudor com toda voracidade do meu ser.
Amo-te sem por que, nem pra quê.
É apenas mais um enigma da vida. E não sou eu quem vai tentar desvendar o mistério de amar,
afinal a delícia está exatamente nisto.




segunda-feira, 26 de julho de 2010

E eu com isso?


Fugia do estereótipo mas no fundo no fundo ela sabia que era isso mesmo, não passava de uma mulherzinha
Sentia uma certa culpa por envergonhar o posto suado conquistado pelas mulheres, que não mais precisam de homens para nada[Digo, quase nada]. 
Ai, tão independentes que começa a perder toda a graça. 
Na realidade ela sabia que o que mais queria era encher sua casa de filhos, ter um maridinho para cuidar e encarar todos os problemas da vida conjugal. 
Não admitiria isso nem sob tortura. 
Manteria a postura de mulher moderna que só pensa nos estudos e no crescimento profissional. 
Pura balela! 
Queria mesmo um amor, uma casinha de sapê, cachorros, papagaios, periquitos e tudo mais que uma vidinha simples e familiar pudesse lhe oferecer. 
Estava fadada morrer à mingua esperando o tal príncipe, que possivelmente teria que ler as entrelinhas e interpretar que tal modo de agir era apenas uma farsa. 
Tempos modernos! As vezes tudo que mais se espera é um pouco de pieguice mesmo. 
Tenho dito! 

domingo, 25 de julho de 2010

É verão dentro de mim!


Chove muito, mas o calor de
sua doce presença em meu coração
me mantém aquecida.

Além de mim...

Vieste quando eu mais precisava,
Ensinou-me coisas até então desconhecidas.
Mostrou-me um lado bom da vida e me fez
descobrir a mais intensa das emoções.
Fostes embora quando eu ainda te desejava.
Deixou-me o gosto amargo de uma saudade que
insiste em continuar dentro de mim...

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Meu eu em você

Fui percebendo que estava perdida a procura
de alguém que nem sei quem é ou se de fato encontrarei.
A lógica zombou de mim e sorrateiramente me abandonou.
Será que é assim com quem ama?
Amo ao desconhecido.
Minhas emoções são poços de sensações abstratas.
Justo eu, uma pós-moderna descrente das armadilhas do amor caí
sem perceber em sua teia perfeita.
Começo a padecer dos males desse sentimento voraz,
que como o ópio me deixa cada vez mais viciada.
Sorriso
Cheiro
Saliva
Corpo
Percorrem minha imaginação!
Minha libido deseperadamente anseia por ti meu bem.
Hoje não tenho mais medo do incerto, meu maior medo é de
permanecer tendo noites frias, tardes solitárias e vazio no coração.
Necessito de toda inquietação, volúpia, desepero e
ardor que vem junto com a paixão.
Eu sei que tais palavras podem parecer extremamente egoísta.
Não se engane! Meu corpo tem fome e sede de ti.
Estou só pela metade.
Querer o seu eu é uma forma de encontrar o meu eu completo e mais feliz.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Meu Jardim...


As flores que cultivei pra você começam a mostrar sinal de fraqueza.
Eu regava todos os dias mas juntamente com elas começo a perder todo o viço.
Havia tanta cor e beleza mas tudo isso está desfalecendo.
Violetas, crisântemos e orquídeas já não dão mais flores.
O que será que aconteceu meu bem?
A fonte secou? O solo perdeu a produtividade?
Ou fui eu que não percebi a mudança da estação?
Sobraram apenas os cáctos.
Totalmente cobertos de espinhos, frieza e rigidez. Sim, é bonito admirar sua imponência diante das outras plantas, mas por outro lado também dói ver tanto carinho, tanta atenção e devoção se perdendo.
Resta-nos a indiferença e o vazio crescente,
resta-nos a solidão do jardim desflorido...

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Apenas passível...

Não me importo se seu tênis é de marca ou se foi comprado na Uruguaiana,
se fala inglês fluentemente ou mal consegue pronunciar o português corretamente,
se é bem humorado ou um chato de galocha,
se prefere Caetano invés da Gal Costa,
se torce para o Vasco ou para o Benfica.
Sinceramente isso não me interessa!!
Me interessa quem você é, sua essência, o que te faz feliz, o que te entristece;
Me interessa essa voz melodiosa a cantarolar uma canção favorita ou o brilho dos teus olhos ao deparar-se com situações que te fazem lembrar da infância.
Quero o teu lado mais repugnante e deleitar-me com o que tem de melhor.
Quero você em suas inúmeras facetas, apenas isso me basta...

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Tu vens, eu já escuto os teus sinais...

Tenho a impressão que todos correm de um lado para o outro numa
busca insana pela tal felicidade e ela medrosa que só parece fugir,
se esconder, temendo que assim que a encontrem percebam que não era
bem aquilo que queriam.
Espremidos se tocam mas não enxergam, nem sentem uns aos outros.
Parece ser o mal do século, a chamada cegueira intencional.
Parece não existir pessoas de carne e osso, são apenas máquinas
programadas para seguir sempre em frente, em busca de algo que decididamente jamais encontrarão...
Usam máscaras e temem revelar sua verdadeira face.
Esses seres parecem não ter memória. Memória é para os fracos,
eles precisam ser fortes, viris e indiferentes.
Eu não sou desse mundo.
Amo, sofro, fraquejo.
Não me importo parecer diferente dos demais.
Estou completamente nua e é assim que pretendo seguir.
Me sinto só, muito só, mas acredito haver uma pequena parcela
de outros iguais a mim...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Siga-me!!!

Até o vento parece sussurrar em meu ouvido: Esqueça! esqueça!
Tanta coisa que desisti de tentar entender, tantos gestos sem explicações, tantos olhares vazios. Eu, apenas mais um pronome sem você.
Dessa vez partirei e levarei comigo toda amargura e rancor na bolsa. No coração todo sentimento puro que dediquei a ti.
Se pensar em voltar eu terei provas de que não vale mais a pena.
Estou indo, por favor siga-me...

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Por entre os dedos...


Tenho alimentado essa paixão como quem cuida de um
bem precioso e que teme perdê-lo por falta de cuidado.
Você escorreu por entre meus dedos mesmo com
todos meus esforços para te segurar.
Ainda assim te amo involuntariamente,
te quero a contragosto,
desejo você como um animal no
cio desprovido de raciocínio.
Pergunto-me o que fez para despertar tal sentimento em mim?
Mas esse é o tipo de pergunta que por mais que se investigue
jamais será encontrada a resposta exata.
Não permito-me esquivar de sua doce ausência que tanto me
faz companhia.
Sigo surportanto as dores proporcionadas por esse sentimento
e fingindo estar curada de feridas que continuam
visivelmente abertas.
E se por acaso eu me for, será como se eu nunca
tivesse sequer um dia existido...
Sabe por que meu bem?
Meu coração hoje me diz que só existo com você e para você!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Minha fuga...


Em cada boca beijada,
no afago despudorado
e no ato impensado
uma forma de sentir que sou desejada.

Nos olhares lascivos,
nos abraços desinibidos
fica subentendido que não sou sua
e minha mentira continua.

Pra você pouco importa meus métodos,
pentenci ao ontem [pretérito mais-que-perfeito]
não faço mais parte de sua realidade.

Como uma menina imatura custo a entender
que no jogo da vida nem sempre o importante é ganhar ou perder,
o que importa mesmo é apenas viver...

O risco do maldizer...


Estou tendo a impressão que
todas as palavras não ditas, mal ditas
formaram uma espécie de armadilha,
que por sua vez, agora, tenta me destruir...

Apenas vestígios...


Levantou-se com uma ideia fixa:
Tirá-lo definitivamente de sua vida.
Abriu as gavetas e retirou de lá todo e
qualquer vestígio de sua passagem.
Ligou o computador e deletou todas as
fotos sem medo algum de arrependimentos.
Jogou os presentes fora, excluiu seu nome da agenda do celular e
mudou a fragrância habitual.
Pronto! Estava terminado. Nada mais naquela casa
faria com que ela visualizasse, sentisse ou pensasse naquele que um dia amou.
Só havia esquecido de uma coisa: De apagá-lo do seu coração.
E isso nem transplante resolveria...

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Do pouco que sei...

Me assustei quando me vi tão sua e menos minha.
Engraçado me encontrar nos teus braços e me perder
por caminhos que não sei onde me levarão.
E o meu egoísmo deu lugar ao sentimento nobre, puro e insolúvel?
Não meu bem. Quero você. Isso basta!
Diferentes dos demais? Talvez!
Gosto do meu eu que surgiu através de você.
Para sempre? Provavelmente não.
Mas vivo o hoje e ele pede por você, não me faça suplicar.
E o Amanhã? Deixe-o esperar...

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Saudade mórbida!

Ontem foi mais um dia sem você,
Hoje melhor nem dizer.
De tudo que ficou, tanta coisa sobrou
mas o que mais marcou foi essa saudade que em mim ficou.
Saudade é coisa abstrata, que nem o dicionário consegue descrever com precisão.
Você não vê mas sabe que ela ali está.
É como um frio que toma conta de todo o seu corpo, uma morbidez que devora todos seus pensamentos e sorrateiramente te impede de respirar.
Uma exaustão que tira todas as suas forças,
Não importa a multidão ao seu redor, ainda assim se sentirá só.
Um oceano nos separa, mas isso não me faz diferente dos demais.
Sou apenas mais uma anônima a sofrer as desaventuras do amor, e como é clichê amar...

terça-feira, 25 de maio de 2010

Dreams


Se as paredes do teu apartamento pudessem falar com toda certeza te diriam: Liga pra ela, jamais entrou outro ser mais apaixonado aqui. Te diriam que inúmeras vezes eu me distraí brincando com seus cabelos enquanto você dormia. Que meu coração batia mais forte a cada sorriso seu. Sim, essas paredes frias e imóveis viram o brilho dos meus olhos e o tum tum do meu músculo involuntário, que voluntariamente palpitava por você. Mas você não daria ouvidos a elas, provavelmente diria que elas estavam enganadas.
Tais pensamento me invadem e percebo que necessito de um remédio pra adormecer, mas antes de pegar no sono imagino que a melhor tarja preta seria você, que me faria rolar na cama e depois sonhar os mais belos sonhos.
Quebrei o relógio na tentativa de parar o tempo, pra não vê-lo tempo passar sem você. Minha mente parece fazer um filme da história de nós dois, dessa vez com final feliz.
Mas reservei-me o silêncio por puro medo. Medo de ser criticada, medo das palavras não surtirem o efeito desejado. Enfim, o medo paralisou-me.
Aqui dentro sinto que acontece um temporal. Enchurradas de sentimentos que ameaçam transbordar de mim. Tento contê-las.
Todos os dias redescubro um jeito novo de amá-lo, e de não desistir jamais.
Me resta sonhar e sonhar o que a realidade me negou...

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Delírios...


Por favor, seja cuidadoso dessa vez, eu imploro. Juro ser uma boa menina. Revele-se aos poucos e deixe-me ir tragando lentamente cada dose diária do seu amor. Dessa forma teremos mais tempo para saborearmos e nos deliciarmos, sem necessariamente ficarmos embriagados.
Levante-se do nosso leito com cuidado, e retorne antes do meu despertar. Não quero ter a aflição de não vê-lo no nosso ninho de amor.
Me iluda com mentiras sinceras que façam da minha realidade um sonho palpável. Deixe-me inebriada com gestos de amor.
Quero dançar com você na chuva e ter as estrelas como testemunhas de nossas noites tórridas de prazer.
No dia em que eu e você não for a coisa mais importante pra sua vida saia de mansinho e deixe tudo parecendo que foi apenas um sonho bom e quando eu acordar tudo não terá passado de um delírio fugaz da minha mente fantasiosa...

Doce fim!

Ensaie frases em frente ao espelho,mas de nada adiantou, fiquei completamente sem reação ao vê-lo.
Ele continuava o mesmo dois longos anos depois. Perguntou-me como eu estava e eu respondi que bem, fiz o mesmo e ele me respondeu com um sorriso de orelha a orelha que estava muitíssimo bem. Como poderia estar bem depois de todo esse tempo de distanciamento? Você não tem coração?
Antes que a briga iniciasse surgiu uma moça gordinha com uma criança no colo. Ligeiramente ele se apressou em me apresentar a ela como uma amiga antiga, e logo me disse que aquela era sua esposa.
Minhas pernas tremeram e percebi traços na criança muito conhecidos por mim e que um dia sonhei que nosso filho tivesse.
Como você foi capaz? Essa criança deveria ser nossa. Não pode me esquecer assim tão facilmente. Dediquei longos anos da minha vida a você. Te esperei durante todo esse tempo e você retorna com essa mulherzinha horrível e gorda??
Foi assim que visualizei nosso reencontro, mas tudo o que aconteceu foi muito diferente.
A mulher com quem o encontrei era belíssima, a criança era fofa, mas não era sua figura que eu queria ver num filho meu.
Por dentro eu gargalhava. Feliz por saber que você não passava de um filme antigo e que não tinha mais graça de ver.
Me despedi e saí cantarolando uma música da Luíza Possi...

Enfim...


Ela: Entrou em câmera lenta, parecia que a respiração de todos acompanhava o ritmo dos seus passos. Seus olhos denotavam uma emoção e uma felicidade impossível de descrever. Chorava, não lágrimas de tristeza, mas de alegria por estar finalmente realizando um sonho. Sua alegria era contagiante.
Dentro dela havia esperança e grandes expectativas de um futuro melhor e mais feliz. Não estaria só. Agora teria com quem contar nessa estrada árdua que é a vida. Seria tudo diferente, tudo novo e o amor reinaria. Ia pensando enquanto dava seus passos lentos, a contragosto, por ela correria logo de encontro ao ser amado.

Ele: Nervoso. Numa expectativa fora do comum. Nunca havia sentido antes tamanha impaciência. Todos os pensamentos sumiram, deram lugar à emoção de ver surgir a figura da mulher que ele tanto esperava. Ele teve a impressão de estar sonhando. Como ela estava linda, parecia um anjo vindo em sua direção. Naquele exato momento teve a certeza de estar fazendo a escolha certa. Era ela o grande amor de sua vida, não havia a menor dúvida.

Juntos começariam uma nova etapa da vida. Não seria fácil, ninguém nunca disse que seria. Os defeitos seriam encarados não apenas em alguns momentos, agora a convivência seria diária. Qualidades e defeitos convivendo ali diariamente e tendo que encontrar um ponto de entendimento. Sim, será possível, basta querer e tentar. Eles querem!
O momento esperado estava se aproximando. O padre então diz: Eu vos declaro marido e mulher. Emoção, lágrimas, beijos e clima de romance no ar. Agora o enlace estava consumado.

Que sejam felizes, não sei se até a morte, mas que seja como uma chama alimentada todos os dias com palavras de carinho, com muita compreensão e com muito amor...

*Texto em homenagem a minha amiga Manuela que se casou ontem e que é alguém mais que especial em minha vida. Desejo-lhe toda felicidade desse mundo...

sábado, 22 de maio de 2010

Voltas com meu coração...


Tantas perguntas sem respostas, tantos abraços sem corpos, tantos eu sem você...
Foram necessárias várias noites em claro, algumas tarjas pretas para adormecer e travesseiros molhados, para só então admitir que era amor.
Foram necessárias vária noites sem luar, tardes sem sol, céu sem estrelas, para sentir que toda luz havia partido com ele.
Não restou nada em seu lugar. Agora era apenas eu e o vazio crescente.
Tão egoísta se tornam os corações apaixonados, resumem todos os problemas humanos apenas a sua dor. É como se tal sentimento fosse algo inédito e jamais experimentado em tamanha intensidade por outra pessoa.
Sua existência torna-se delimitada. Ama, sofre e sonha. E a vida é mais que isso? Para um ser enamorado com toda certeza não.
As leis do amor e do trânsito poderiam ser iguais.
Existir um Pare! Atenção! Siga!
Mas não é assim. E o amor lá tem lei? Provavelmente não.
Mas a lei nesse caso não me interessa, prefiro a imprevisibilidade, as surpresas que tão bem faz ao coração. Quero seguir uma estrada curvilínea e me deparar com o amor numa curva sinuosa. Desejo muito um doce amor, mesmo que pra isso eu prove do agridoce e muitas vezes do sabor amargo.
Quero morrer de tanto amar, quero morrer de tanto amor...

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Selo novo!


Selos são sempre bem vindos e fico feliz da vida quando ganho um.
Esse selo eu ganhei da Angel do blog "Pedaços de nuvem".

A regra consiste em responder algumas perguntas, que são:
1- Por que acho que mereci o prêmio?
2- Na minha opinião, qual o post do blog é o que mais merece receber este selo?
3- Do blog que indicou-me, o que mais me agrada? Ele mereceu o Prémio?
4- Quem merece receber o selo?

Respostas:
1-Não sei exatamente se mereci o prêmio, escrevo por hobby e não me considero tão talentosa assim, mas fico feliz que algumas pessoas gostem do que escrevo. Meus textos são em sua grande maioria sobre sentimento. Um dia resolvi colocar pra fora todo amor que tenho dentro de mim por meio de palavras e acredito que existem pessoas tão sentimentais quanto eu e que por isso identificam-se com meus posts.

2-O post que mais gosto é "Não sou mais dona de mim". Foi um texto que escrevi após o carnaval e ele foi exatamente redigido usando as palavras de como me senti ao reencontrar alguém que gosto muito. O texto é extremamente íntimo e creio que fui muito clara com as palavras que usei para descrever toda emoção sentida naquele momento...

3-O blog Pedaços de nuvem eu encontrei em uma de minhas andanças procurando por blogs novos. Adoro ler os blogs e quando sigo eu realmente acompanho os posts. O blog de Angel é maravilhoso! Ela é de uma sensibilidade incrível com as palavras. A Angel mereceu esse selo e merecerá muitos outros que virão, com toda certeza.

4-Esse selo eu indico à todos os blogs que sigo. Todos foram escolhidos com muito carinho e atenção, por isso estão na minha lista de favoritos.

domingo, 16 de maio de 2010

Coisas da vida...

Não sou muito boa em despedidas. Não gosto de pronunciar adeus, prefiro um até breve ou tchau. Talvez pelo fato de acreditar sempre em futuros reencontros, mesmo quando tudo me leva acreditar que não será possível.
Perder você foi a coisa mais difícil que eu já encarei nessa minha vida. Você fez e sempre fará parte da minha história, fostes responsável pela pessoa que hoje sou, minha vida não tem como ser desvinculada da sua...
Não entendo nada sobre o mistério da vida, mas quero acreditar que existe um propósito maior para todas as dificuldades e barreiras enfrentadas no nosso dia a dia.
Não estou tentando te dizer adeus, mas só quero que saiba que sempre permanecerá viva no meu coração.
Não quero mais chorar, sei que não gostaria de me ver sofrendo e que de nada adiantará, mas minhas lágrimas são teimosas e distraídas e se jogam dos meus olhos.
Nesse momento estou sentindo uma vontade imensa de te abraçar e te dizer o quanto eu te amo. Nunca falei eu te amo por achar claro demais meu amor por ti. Sinto que deveria ter te dito isso não só por gestos mas também por meio de palavras. Hoje é tarde demais para arrependimentos, mas acredito que você nunca duvidou do meu amor.
Te amo muito, sempre te amarei e até um dia, eu espero...

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Seu tormento, sua paz...


Fazia um bom tempo que ele havia partido e ela ainda o aguardava. Não sabia se um dia retornaria mas seu coração não tinha pressa, esperaria até seu último minuto de vida só para estar com ele novamente e sussurrar em seu ouvido: Eu te amo, sempre te amei e sempre vou te amar, mesmo quando eu não mais existir...
Guardava seu amor como quem coloca uma bebida na geladeira. Estaria lá para o momento que precisasse, bastava apenas surgir o desejo e ela o pegaria.
Não era infeliz, nem sozinha, era apenas uma mulher que convivia com a presença mesmo que ausente da pessoa amada. Não desejava outro corpo senão o dele. Nenhuma outra pessoa seria capaz de acalmar os anseios do seu corpo e do seu coração.
Apenas ele.
No dia em que se conheceram ela sabia que era ele o grande amor de sua vida, tinha olhos de ressaca como a Capitu. Não podia escapar daquele olhar, tudo nele a deixava desnorteada, provocava uma sensação desconhecida, era como se possuísse um veneno.
Todos os dias antes de dormir amaldiçoava esse amor que sentia, mas ao acordar agradecia a deus por possuir tão belo sentimento dentro de si.
A subjetividade a seguia e dessa forma nunca estaria só, mesmo que sua companhia fosse apenas em seus pensamentos...

*Parafraseando o Jabor: Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca...

Apenas mais um...


Tão chato quando o outro vai e o sentimento permanece em nós.
Pra quem fica é sempre uma dor,
Pra quem parte foi apenas mais um.
E a vida segue tal qual como antes,
e tudo volta a acontecer.
É a roda gigante da vida,
não quero descer...

Síntese de carinho no blog!rs


Ganhei outro selo do blog "A arte de um sorriso" do Rodolpho Padovani.
Muito obrigada, receber carinho é sempre algo especial...

As regrinhas são:
- Pegar o selo
- Responder a pergunta: O que é mágico para você?
- Repassar para 10 blogs
- Indicar de onde pegou o selinho
- Ilustrar o post com uma imagem

O que é mágico pra mim?
Mágico pra mim é toda forma de amor. Amar sem pedir nada em troca, simplesmente amar...
Mágico é carregar uma vida em seu ventre por nove meses e depois depositar um amor descomunal por aquele ser...
Enfim, mágico pra mim é viver!

Minha imagem escolhida como algo mágico


Os blogs escolhidos foram:
A luz aflora onde nenhum sol brilha
Manuscritos poéticos
Pedaços de nuvem
Ver além da máscara
Devaneios do meu ser
Prometeu acorrentado
Lúdico ou louco? de tudo um pouco...
Eu só queria um café...
Desiluminância
Histórias de desperdício e mal uso

terça-feira, 11 de maio de 2010

Sigo te amando!

Por mais que ele tentasse fugir e apagasse de sua mente tudo que havia vivido, ainda assim as lembranças lá permaneceriam como uma mancha eterna da alma.
Amores furtivos ou desejos propositais não adiantariam. Ela permaneceria lá.
Não sabia que importância havia dado a ela, só não conseguia compreender o porque desse sentimento desenfreado. Não admitia amá-la.
Seu coração parecia bater por ela, sua respiração se tornava ofegante toda vez que deparava-se com aquela mulher. Pensava sofrer de algum mal.
Um dia encontrou-se com ela na fila do cinema, mas ela estava acompanhada e parecia feliz. Tentou não esboçar nenhuma reação, mas qualquer pessoa mais atenciosa notaria seu embaraço. Foi como se seu mundo desabasse.
Voltou pra casa.
Só então percebeu o quanto era forte seu sentimento por ela. Sabia que o único culpado por não estar ao lado dela era ele mesmo. Agora conseguia visualizar com clareza que de nada havia adiantado seu orgulho bobo. Tudo que conseguiu foi empurrá-la pros braços de outro e proporcionar momentos de tristezas desnecessários.
Jurou jamais amar novamente.
Ela seria sua única exceção...

Que não seja crônico...

Meus pensamentos me condenam, levam-me de encontro a você sem pedir autorização.
Me dói pensar que faço parte do seu passado, um passado gostoso, mas apenas isso.
Queria poder abrir a boca e dizer: Ah não me importo com sua ausência, quem perdeu foi você. Mas não gosto de mentiras e na realidade eu perdi muito. Perdi meus momentos de alegrias ao seu lado, perdi seus ataques de mau humor, nossas idas ao cinema e os afagos agora esquecidos e substituídos. Perdemos os dois.
Talvez seja tolice minha acreditar que a dor do amor não seja tão ruim, preferir sentí-la a ter um abismo aqui dentro. É talvez seja tolice.
Talvez seja apenas melancolia pensar que um dia de chuva seja o céu se condoendo pelo meu sofrimento. É talvez seja tolice.
Talvez seja bobagem me trancar no quarto e não querer ver ninguém. Apenas bobagem.
Provavelmente essa solidão que aqui se instalou seja apenas fruto de uma menina mimada que não sabe lidar com nãos. Provavelmente.
Talvez fugir de mim só me faça buscar por você. Pode ser que sim.
E essas palavras aqui digitadas daqui a algum tempo me causarão gargalhadas.
Assim espero...

Atrás da máscara...


Aqui dentro uma chuva torrencial me atormenta,
Causando uma série de danos irreparáveis.
Aqui dentro sou um misto de cidadezinha do interior e grande metrópole
calma, pacata, constante, intensa...Tudo ao mesmo tempo!
Aqui dentro escondem-se segredos,
desejos relutantes e sonhos teimosos.
Aqui dentro tudo é solidão, mesmo que olhando aí de
fora tudo seja maravilhoso
mas é apenas uma armadilha, para te enganar, para me enganar.
Aqui dentro eu busco um caminho para ser feliz...

Silêncio cortante...


Não posso falar tudo que me vem à mente. Na realidade ninguém pode. Sendo assim eu escrevo. É uma forma de esvaziar um pouco esse turbilhão de coisas que penso.
Tenho um desejo imenso de numa noite qualquer quando a sanidade me abandonar, pegar o telefone e discar o número de sua casa e quando você atender começar a te falar um monte de coisas que guardo aqui. Não sei o que te dizer. Na verdade sei sim o que dizer. Mas falar pra quê? Será que você iria gostar?
Falar que te amo mais que esse sol que me aquece?
Que morreria se um dia você não mais existisse?
Que esperaria a vida toda pra tê-lo em meus braços?
Que cada dia que fico sem ouvir sua voz é como um dia não vivido?
Que adoro sua boca, seu sorriso e a cara que faz quando vê TV?
Que amo sua salada de alface?
Que seus olhos grandes e amendoados são os mais lindos do universo?
Que mesmo não gostando de macarrão, passaria o resto da minha vida comendo a macarronada que você faz?
Não posso falar! Não me atrevo a falar.
Engulo as palavras novamente e minha voz fica rouca.
Consequência das palavras engolidas e ainda não digeridas...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Queria te decifrar, queria me decifrar...


Quando a ausência torna a presença ainda mais constante é um caso a ser pensado cuidadosamente. De imediato eu não achei que fosse além, mas devo admitir que sinto sua falta mais do que eu gostaria e muito mais que poderia supor.
Como que sentimento deixa a gente tão sem noção?
Beijos, abraços, carinhos, brincadeiras, libido...Eu e você, uma síntese de intensidade e serenidade sem explicação.
Se alguém me perguntar o porque dessa vontade com toda certeza eu não saberia o que dizer.
Só sei que é dele que gosto. É em busca dele que meu pensamento vai antes de dormir e ao acordar. Minha boca só deseja a boca dele...
Mas eu nunca necessitei de uma razão para gostar de alguém, ninguém nunca precisou, você só precisa sentir e apenas isso basta.
Borboletas no estômago. Como essa sensação é boa. Foi assim que me senti ao te ver vindo em minha direção.
Mas a essa hora eu só preciso dormir para te esquecer ou te esquecer para dormir.
E esse não é mais um post sobre amor, o que sinto é só saudade...

Nascida para o amor!

Tenho a nítida impressão que ela gostava mesmo era de colecionar amores platônicos. Sentia-se bem em viver situações mal resolvidas e lá no fundo sentia que só assim era feliz.
Um tipo raro de pessoa nascida essencialmente para a jogatina. Não possuía sorte! Saía das apostas totalmente falida, sem nada, apenas com a roupa do corpo.
Apanhou repetidas vezes nas vielas da vida. Curava as cicatrizes e logo retornava para mais uma vez ter seu corpo dilacerado pelos açoites...
Acreditava que no amor e na guerra valia tudo e que sofrer por não amar era muito pior que ter o corpo totalmente marcado pelas punições do amor.
Um dia surgiria um homem bom em seu caminho e lhe daria remédios para as feridas e não deixaria que nada de ruim acontecesse novamente. Ansiosamente o esperava.
Causava inveja em algumas pessoas por ser tão corajosa e por não temer cair nas ciladas da vida. E ela seguiu amando, chorando, cantando, remoendo e vivendo...
Uma parcela de gerúndios não poderiam definir o coração dessa mulher.

quinta-feira, 6 de maio de 2010


Duvidei inúmeras vezes da sua existência.
Um belo dia ele bateu na minha porta. Entrou e lá ficou.
Não é um hóspede bonzinho. Grita, esperneia e até me machuca.
Não quero que me deixe! Com ele nunca estou só...
É o amor que veio e pra ficar!

Desatados...


Eu e você! Distantes, separados, como o sol e a lua. Por isso existe o eclipse. Sonho com você junto comigo na mesma frase formando nós, sim exatamente isso, enlaçados tal qual um nó de marinheiro.
Guardei um sentimento tão belo e tão natural. Algumas coisas fui obrigada a esquecer, seria impossível conviver com certas recordações a me rondar. Sua digitais ficaram em mim, essas foram preservadas por vontade e não ouso retirá-las...
E você? Será que volta?
Não sei! O grito ficou abafado na garganta e o desejo de viver tudo que não foi vivido ainda existe. Parece que estamos em um labirinto e quanto mais procuro a saída mas me afasto de ti.
Será que está escrevendo poesias e tentando encontrar um novo amor como inspiração?
Será que essa saudade foi um meio amargo para justificar um fim doce?
Ainda me resta alguma esperança.

Viajo porque preciso, volto porque te amo...


Foi como se o retorno à casa fosse um meio encontrado para sobreviver. Em meio a tantas feridas provocadas por acidentes que só poderiam ser curadas em seu lar. Sendo assim ela retorna e tenta renovar as forças que outrora haviam se perdido.
Sentia frio, medo e dores extremas, mas logo ao ver sua casa tudo isso foi se curando. Ela sabia que ali não era mais o seu lugar, mas era onde encontrava um porto seguro, onde poderia curar as mazelas dessa vida nada mole.
Fugiu. Não deixou nenhum bilhete dando explicações, não queria ser encontrada mas queria que sentissem sua falta. Não ligou para nenhum dos seus amigos, mas gostaria que eles ligassem pra ela. Não enviou nenhuma carta de amor, mas escreveu inúmeras...
Descobriu desde cedo que as dores da vida ensinavam a viver, mas não aceitou esse fato.
Agora as forças haviam sido recuperadas. Estava preparando-se pro voo. Sabia que não seria nada fácil. Nunca será! Mas dessa vez estava com a carga cheia e novamente iria à luta.
Uma lagarta morria e entrava em cena uma linda borboleta para ser a estrela da vez...

segunda-feira, 3 de maio de 2010


Ganhei outro selo da queridíssima Amanda Cabral do Blog "Ver além da máscara".
Fiquei contentíssima, afinal, é sempre bom receber essa demonstração de carinho...
As regras consistem em:
•Falar dois defeitos e duas qualidades suas:
•Indicar esse selo para 6 blogs.

Falar de defeito nem sempre é uma coisa bacana mas vejamos:
Defeitos: Emotiva e exagerada
Qualidades: Fiel e sincera

Meus 6 blogs favoritos:

A luz aflora onde nenhum sol brilha
Pedaços de nuvem
Devaneios do meu Ser
Eu só queria um café...
Confissões ácidas
Manuscritos poéticos

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Que assim seja...

Eu quero um mar enfurecido de emoções
Quero um amor descomunal
Quero noites tórridas de prazer
E desentendimento banal
Quero morrer de ciúmes da colega do trabalho
E sentir medo de te perder
Quero temer as noites frias sem você pra me aquecer
Não quero um amor simples numa casinha de sapê.
A casinha pode ser bem vinda mas o amor
esse que venha complexo e tentador
Não quero ser passível de palavras amenas
Quero palavras que ao menos causem furor.
E quando isso não mais for o bastante, que haja
fôlego pra recomeçar, e quando tudo for sentido
que possamos nos reinventar...
Como que eu não consegui te interpretar?
Mas não são os atos que falam mais que as palavras?
Como pude me enganar?
Talvez eu tenha perdido o foco por causa do brilho
dos teus olhos.
Pensei que te conhecia a tal ponto
que já te lia em braille...

Seria apenas ilusão?!


Um dia eu pensei que não poderia mais amar. Sentia que meu coração estava amargurado demais. Desejava diariamente um novo amor. Não um amor qualquer. Queria uma paixão avassaladora, daquelas que pudessem me fazer tremer, suar frio e sentir sensações estranhas na barriga.
Queria algo que modificasse o cenário da minha vida, que tudo ficasse colorido. Que viesse trazendo consigo sonhos, fantasias e muito despudor na bagagem.
Pensava em sobreviver inteiramente dessa paixão. Ele seria minha comida, minha bebida e meu parque de diversões nas horas de lazer.
Depois de um certo tempo percebi que o meu desejo seria impossível, que esse amor que tanto esperava nunca surgiria. Mas meu coração relutava em desistir e me fazia sonhar acordada. Eu não sabia se ele existia mas minha intuição já o sentia.
Deparei-me com os olhos amendoados mais lindos do mundo.
Havia um misto de intensidade e serenidade em seu olhar. Sua voz era tão doce que me embriaguei sem perceber. Era por ele que eu esperava, era ele o motivo da minha insônia...Em questão de segundos eu acordei, ele não era real.
Por noites seguidas eu tenho esse mesmo sonho. Agora tenho dúvidas se é o meu melhor sonho ou meu pior pesadelo. Mas nas noites em que ele não aparece sinto um vazio terrível.
Estou sempre de olhos fechados para reencontrá-lo...

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Quando o mais correto a ser feito é errar...


-Precisamos conversar!
-Lá vem você com essa mania chata de me dominar.
-Você fez um estrago muito grande, com essa sua mania de agir sem pensar...
-Não fiz estrago nenhum, apenas tentei viver algo que era especial...
-Não durmo, não estou me alimentando direito e não tenho conseguido me concentrar...
-Deixa de ser chato você bem que curtiu.
-É verdade, por alguns instantes eu tentei não me preocupar.
-Pois então? Tenta ser menos desconfiado e viva o momento.
-Você sabe que não sou assim e que tenho que cuidar de você.
-Eu sei me cuidar, e no final tudo acaba dando certo.
-É isso que odeio em você. Essa compulsividade insana...
-Tenta ser menos mandão e me ouvir de vez em quando, você vai ver que apesar das trapalhadas tudo dá certo...
-Mas não foi isso que aconteceu dessa última vez.
-Como você é rancoroso!Sempre guardando mágoas...
-Não estou sendo rancoroso, só estou te lembrando que nem sempre as coisas saem como o planejado e por isso deve haver um cuidado maior.
-Deixa essa coisa de cuidado de lado, você vai perder o melhor da festa.
-Olha só, da próxima vez eu darei os comando. Faça o favor de me obedecer.
-Sim senhor!
-Ah! olha só aquele gato! Ele quer nos conhecer...
-Não! nem pense em ir até lá...
-Ah você vai deixar essa oportunidade passar? Ele pode ser o amor da nossa vida...
-Nem vem com esse papo...
-Tá Razão, então fica aí quietinho e deixa que agora eu assumo...
-Emoção, volte já aqui! Você não pode agir assim... Pronto nem me ouve mais. vai se meter em uma nova furada e eu que depois pago o pato.

Constatação!

Deve ser o silêncio da noite que nos permite ouvir melhor nossos sentimentos, e, as vezes, ele grita.